Notícia do Portal

12/03/2018 11:03 (726 acessos)

Ensino Médio em Tempo Integral traz bons resultados para alunos e professores

Por Ítalo Marcos

 

A modalidade de Ensino Médio em Tempo Integral, que foi implantada pelo governo Jackson Barreto e pelo secretário de Estado da Educação Jorge Carvalho, vem trazendo bons resultados no desenvolvimento dos alunos como estudantes e como cidadãos. Atualmente presente em 42 unidades de ensino, a modalidade permite aos jovens passar quase o dia todo na escola, oferecendo além das aulas regulares, outras atividades e disciplinas eletivas que estimulam a autonomia e o protagonismo.

 

O Centro de Excelência Professora Maria Ivanda de Carvalho Nascimento, bairro 18 do Forte, em Aracaju, foi uma das primeiras unidades de ensino a implantar o Ensino Médio em Tempo Integral, em 2005. A coordenadora Sheila Costa destacou que uma das principais características da modalidade é a figura do tutor, que é um professor que irá acompanhar cada aluno durante todo o ano. Ela explicou que no decorrer do ano letivo eles perceberam que esse auxílio aos alunos seria bastante benéfico. Segundo Sheila, hoje os professores são apaixonados pela tutoria. Os alunos escolhem o seu próprio tutor, respeitam, e recebem orientação.

 

"Tivemos estudantes que passavam de ano com muita dificuldade, mas que agora passam direto, sem recuperação. Isso se deve ao acompanhamento da tutoria. O professor tem uma ficha dos alunos, através da qual poder ver as notas e as faltas. Eles conversam com outros professores sobre o comportamento e desenvolvimento dos seus tutorandos, acompanha de perto, orienta, faz os alunos focarem em seus projetos de vida", disse.

 

Uma das principais ações do Ensino Médio em Tempo Integral é o engajamento nos projetos de vida. "A gente está sempre lembrando aos alunos quais são suas metas. Temos visto que a responsabilidade e o compromisso deles têm aumentado. O Ensino Integral tem formado cidadãos melhores, mais solidários e com mais autonomia, estimulando o protagonismo e a competência", declarou.

 

A aluna Amanda Vitória, do 2º ano do ensino médio, entrou no Centro de Excelência Professora Maria Ivanda de Carvalho Nascimento em 2017. Ela disse que quando passou a estudar no Ensino Integral se surpreendeu. "Eu pensava que seria totalmente diferente. Mas foi algo que mudou a minha vida completamente. Através dos Projetos de vida, fomos estimulados a refletir sobre o que queríamos para a nossa vida, como tratar as pessoas e como nunca desistir dos nossos sonhos. Essa modalidade de ensino nos deu voz para sermos protagonistas de nossas vidas", afirmou.

 

Amanda destacou ainda que o Ensino Integral mudou não só a sua vida, mas a de seus colegas. "Tenho colegas que antes eram tímidos, fechados, que não queriam nada com a vida. E ao entrarem no ensino integral, tomaram um rumo. Nossos tutores são como segundos pais, são nossos responsáveis na escola. Eles estão aqui nos observando, monitorando e orientando sempre", explicou.

 

Disciplinas Eletivas

 

Além do currículo regular, o Ensino Médio Integral oferece a disciplina Projeto de Vida, em consonância com as disciplinas eletivas, estas elaboradas conjuntamente entre alunos e professores, baseadas justamente nas demandas temáticas apresentadas pelos docentes na elaboração dos seus projetos de vida. Articuladas, estas disciplinas são marcas do programa.

 

No Centro de Excelência Professor José Carlos de Sousa, bairro Salgado Filho, em Aracaju, alunos e professores têm se engajado no desenvolvimento das disciplinas eletivas. Uma delas é "A vida dos pés à cabeça", projeto desenvolvido pelos alunos e professores, através do qual cultivam uma horta na escola.

 

Wesley dos Santos Pereira, do 2º ano, disse que escolheu essa eletiva por querer aprender sobre os cuidados com o meio ambiente e sobre as técnicas de utilização do solo para plantar. Ele participou também da eletiva "Plantão 24 Horas", através da qual conheceu mais sobre a área de saúde.

 

O aluno Wesley destacou a importância do Ensino Integral, que promove uma maior convivência e mais tempo na unidade de ensino. "Mais horas na escola ajuda porque temos que aprender a conviver com os amigos, conhecer novas pessoas, e o mercado de trabalho pede isso de nós. Além disso, nos ajuda a ser jovens mais autônomos, com mais iniciativa. Os tutores são de grande ajuda para nós porque, como passamos o dia todo na escola, às vezes temos uma dúvida e eles podem nos auxiliar em nossas atividades", disse.

 

Já a sua colega Lucila dos Santos participou de disciplinas eletivas sobre empreendedorismo e cultivo da horta escolar. Para ela, o Ensino Integral é diferente por conta da convivência com os professores, que melhorou o diálogo e resolveu muitos problemas.

 

"Hoje estamos colhendo o fruto que plantamos. Só tenho a dizer que, para quem quer ter um futuro de verdade, o Ensino Integral é a solução. É algo que fez uma grande diferença na minha vida, me estimulando o protagonismo, com os projetos de vida, que faz a gente perseguir as nossas metas e sonhos. Para mim ganhei uma família, os professores são como pais e mães para nós. Passar o dia todo na escola me proporciona tempo para estudar e para ter responsabilidade", declarou.

 

A professora de Geografia Elvira Suzi Bittencourt Garção, que também orienta os alunos na seletiva da horta escolar, afirmou que o Ensino Integral avalia o aluno como um todo, através de um processo contínuo que leva em conta as atividades desenvolvidas, avaliação sócio-emotiva, os simulados e as eletivas. Ela disse ainda que os estudantes evoluíram bastante a partir dessa modalidade de ensino. "Ao longo do tempo, foi visível a mudança nos alunos. Eles foram incentivados ao protagonismo, através da formação dos clubes, formação dos líderes, valorização dos alunos que tiram as melhores notas. Muitos, que antes queriam sair, persistiram e hoje estão satisfeitos", disse.

Voltar à página anterior