Notícia do Portal

16/05/2018 15:33 (644 acessos)

Conferência infantojuvenil debate educação ambiental e cuidado com a água

Na oportunidade, foi feita a seleção da delegação estadual que representará Sergipe na etapa nacional, que acontecerá em Brasília, de 15 a 19 de junho

 

Por Lívia Lessa

 

A Secretaria de Estado da Educação (Seed), por intermédio Departamento de Educação (DED), Serviço em Educação em Direitos Humanos/Núcleo de Diversidade e Cidadania (Sedh/Nedic), Coordenação de Educação Ambiental, realizou nesta quarta-feira, 16, a III Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente (CNIJMA), etapa estadual. Nesta fase, a Conferência Estadual Infantojuvenil aconteceu na Didática VI, da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Campus São Cristóvão.

 

O evento tem como objetivo fortalecer a Educação Ambiental e a Educação para a Diversidade nos Sistemas de Ensino, propiciando atitude responsável e comprometida da comunidade escolar com as questões socioambientais locais e globais. Estiveram presentes no encontro estudantes das redes estadual, municipais e privada.

 

Na ocasião, a diretora do DED, Ana Lúcia Lima Muricy, representando o secretário da educação, professor Josué Modesto, e destacou acerca da importância da realização de ações para promover a conscientização da preservação do meio ambiente. "Neste ano, a conferência conta com o tema ‘Vamos cuidar do Brasil cuidando das águas de Sergipe'. Esta temática favorece momentos de discussões e reflexões. Além disso, permitirá que os estudantes aprofundem os conhecimentos sobre o assunto", salientou.

 

O secretário de Estado e Meio Ambiente, Olivier Ferreira Chagas, elogiou a iniciativa. "Parabenizo a Seed por ser a força principal para a realização desse encontro. Trata-se de um evento que começa nas escolas, passa por uma progressão na conferência estadual até a V Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente. Compreendemos que a base para a conscientização ambiental é a educação", frisou.

 

Para a diretora do Sedh, Josevanda Franco, a educação ambiental é um espaço de garantia de formação de crianças e adolescentes, mas é também o lugar de discussões e reflexões a respeito das questões ligadas ao meio ambiente.

 

"Precisamos convergir forças e atrair o protagonismo infantojuvenil como forma de garantir a sustentabilidade e a sobrevivência do planeta. Na perspectiva da Seed, essa conferência foi uma grande responsabilidade e que, ao mesmo tempo, atingimos todas as metas estabelecidas pela conferência nacional. Contamos com as parcerias que garantiram o sucesso desta iniciativa", reconheceu Josevanda Franco.

 

III Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente

 

Participaram do encontro os alunos, professores, gestores, coordenadores de educação Ambiental e representantes das instituições que compõem a Comissão Estadual Organizadora (COE), são elas:  Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMARH),  Comitê das Bacias Hidrográficas de Sergipe, Secretaria de Estado da Saúde (SES),  Projeto Tamar, Universidade Federal de Sergipe (UFS), Universidade Tiradentes (Unit), Faculdade Pio Décimo, Sociedade Semear e Coletivos Jovens de Sergipe.

 

Durante a programação do evento, o professor do curso de Turismo, do Instituto Federal de Sergipe (IFS), Lício Valério Lima Vieira, ministrou a palestra intitulada "Vamos cuidar do Brasil cuidando das Águas de Sergipe". De acordo com ele, um momento como este é necessário para promover de forma efetiva a educação ambiental.

 

 

"A III Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente é o ponto máximo de outros encontros nas escolas e em outros espaços. Oportunizar o diálogo de um tema tão importante é benéfico, uma vez que as águas representam a vida na terra e também os riscos para a continuidade e perpetuação da vida. Nesta palestra, demostramos o cenário crítico e apontamos as soluções para buscarmos políticas públicas e intervenções para mudança de comportamento", explicou Lício Valério Lima Vieira.

 

A professora da Escola Estadual Evandro Mendes, em Lagarto, unidade escolar circunscrita à Diretoria Regional de Educação 2 (DRE 2), Maria Aparecida de Oliveira Matos, afirmou que este projeto reforça o trabalho feito em sala de aula. "Essa iniciativa permite uma consciência ambiental nos alunos. Levamos os educandos na Barragem Dionísio Machado e eles puderam enxergar o local por outra perspectiva, verificando como podem colaborar na preservação do meio ambiente", declarou. 

 

O estudante do 8° ano da Escola Estadual Evandro Mendes, Kauan Fontes, não escondeu a empolgação ao falar do envolvimento no projeto. "Adorei conhecer a Barragem Dionísio Machado. É importante cuidarmos do meio ambiente e  repasso o que aprendo para meus amigos e familiares", disse.

 

A V Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente acontece em três etapas: na escola, no âmbito estadual (III Conferência Infantojuvenil) e no âmbito nacional.  Neste momento encontro, no período da manhã, contou com palestras e, no turno da tarde, os alunos participaram de oficinas e da plenária final para a seleção da delegação estadual que representará Sergipe. A etapa nacional acontecerá em Brasília, de 15 a 19 de junho.

 

V CNIJMA

 

A V Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente (CNIJMA) é uma iniciativa do Órgão Gestor da Política Nacional de Educação Ambiental (PNEA), constituído pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). Tratar-se de uma estratégia de mobilização de estudantes, adolescentes e jovens de todo o País com o objetivo de promover a reflexão, o desenvolvimento de estudos e pesquisas, além de estimular a proposição de ações e projetos no contexto da temática socioambiental, considerando seus desafios e alternativas, no âmbito da escola e de seu entorno, em conformidade com as orientações expressas nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental (DCNEA), aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação pela Resolução CNE/CP nº 02/2012.

 

A Conferência é um processo pedagógico, dinâmico, de diálogos e encontros, voltado para a valorização da cidadania ambiental nas escolas e comunidades a partir da educação ambiental crítica, participativa, democrática e transformadora. Ela se caracteriza como um processo dinâmico de encontros e discussões, para debater temas propostos, deliberar coletivamente e escolher os representantes que levarão as ideias consensuadas para as etapas sucessivas.

Voltar à página anterior